Programa

SÁBADO, 27 outubro 2018

10h30

Inauguração da Exposição: “Sinfonia de Neptuno” de Luís Quinta

Auditório Municipal, Sala de Exposições

11h15

Masterclass: “A Arte da Edição: O Antes e o Depois da Captura
Luís Afonso

Auditório Municipal

12h30

Pausa para almoço

15h00

Abertura do V Imaginature: Festival de Fotografia de Paisagem de Manteigas

Auditório Municipal

15h20

Ciclo de Apresentações

Auditório Municipal

20h00

Final do 1º Dia

DOMINGO, 28 outubro 2018

6h30

Passeio Fotográfico Canon

Serra da Estrela

11h15

Ciclo de Apresentações

Auditório Municipal

13h00

Pausa para almoço

14h30

Um Outro Olhar: A Mulher na Fotografia de Paisagem

Espaço para Discussão

Auditório Municipal

15h40

Ciclo de Apresentações

Auditório Municipal

17h20

Entrega dos Prémios e apresentação das imagens premiadas do XXXII Concurso de Fotografia de Manteigas, Imaginature – Fotógrafo de Paisagem do Ano

Auditório Municipal

18h00

Cerimónia de Encerramento

Auditório Municipal

Um tema, diferentes perspectivas

Em 2018, o festival tem como fio condutor o tema “PAISAGENS INTERIORES”.

 

Em 1917, quando Egon Schiele pintou as “Quatro Árvores”, numa das manifestações mais sublimes do Expressionismo, a paisagem da sua Áustria natal foi convocada para uma reflexão pessoal de como se via perante os outros. Antes dele já Van Gogh tinha enviesado uns ciprestes para expor a agonia da sua existência e não tanto a paisagem da Provença onde habitava… Desde cedo, artistas de todos os quadrantes têm usado a paisagem para exprimir aquilo que sentem, numa verdadeira metáfora onde pousa a representação do seu ser mais íntimo. Quer desenvolvam a sua obra em montanhas, florestas ou planícies, com ou sem intervenção humana, os artistas ao longo da história sempre se deixaram cativar pelo poder puro e criador da natureza.

Alfred Stieglitz, pioneiro da arte fotográfica e uma das forças catalizadoras do desenvolvimento da arte moderna americana, disse um dia que “o objectivo da arte é ser a expressão vital de si mesmo”. E estas palavras terão certamente ecoado na mente dos seus mais brilhantes seguidores que usaram a expressão mais íntima da sua voz no momento de criação das suas fotografias. Edward Weston ou Ansel Adams serão certamente os maiores exemplos disso, ao mesmo tempo que representam para a maior parte dos fotógrafos de paisagem gigantes portos de abrigo.

É este tema apaixonante, que coloca o fotógrafo no centro da criação fotográfica, que o Imaginature pretende abordar na sua quinta edição.

 

Com inúmeras publicações, grupos de discussão, formações e atividades de lazer, a fotografia de paisagem é um dos estilos de fotografia mais populares. Permite criar uma ligação ao meio natural e também ajudar a conscencializar para a importância de preservar a natureza, uma tendência iniciada pelos grandes fotógrafos naturalistas do século passado.

Por tudo isto, a fotografia de paisagem tem um papel fundamental no meio que interessa potenciar num festival como o IMAGINATURE.

Através de um leque multifacetado de fotógrafos, mas não só, o Festival apresenta diferentes abordagens à criação artística e à utilização da fotografia como meio privilegiado da expressão, da voz e da linguagem dos seus autores.

 

Das serras ao mar, da paisagem intocada à cidade, da paisagem mais intima que se abre debaixo dos nossos pés à mais grandiosa da sua representação, todas estas abordagens, incluindo as mais abstractas e inovadoras, estarão presentes. Prometemos que vai ver a paisagem como nunca a viu, através das emoções e das razões de quem se deixa tocar por ela com uma câmara fotográfica na mão.